SÃO PAULO S.A.

2002-2007

São Paulo S.A. enfocou o debate sobre as práticas estéticas contemporâneas, o discurso urbano e suas implicações políticas, considerando a cidade de São Paulo como um epicentro de reflexões sobre as grandes metrópoles.

São Paulo S.A. – práticas estéticas, sociais e políticas em debate foi um projeto dirigido por Catherine David, realizado pela exo experimental org., iniciado pelo coletivo Resistência/Criação - Suely Rolnik, Peter Pál Pelbart e Denise Bernuzzi Sant’Anna. Com mesmo título do filme de Luiz Sergio Person, de 1965, que assinala a transformação econômica e industrial na história da cidade, o objetivo do São Paulo S.A. foi desenvolver um espaço de intercâmbio e debate sobre a condição urbana em seus múltiplos fenômenos que, recontextualizados e reativados por um dispositivo em rede, permitem uma outra legibilidade.

A concepção, identificação e produção das atividades e eventos foram geradas a partir do edifício Copan, projeto do arquiteto Oscar Niemeyer (1951-66). Considerado por muitos habitantes de São Paulo como uma "utopia vertical", o Copan está ancorado na memória dos cidadãos tanto por sua extrema plasticidade, quanto pelos movimentos de "grandeza e decadência" que marcam sua história. Nesse território heterogêneo, múltiplo em densidade e diversidade populacional, relações de intimidade e proximidade são tecidas constantemente. A escolha deste edifício como base de agenciamento correspondeu a diferentes diretrizes: uma configuração simbólica em diálogo estreito, flexível e permanente com a cidade; um dispositivo de recepção e montagem progressiva dos elementos da cidade e suas representações (por meio de reuniões, oficinas, apresentação de trabalhos); e uma concepção de novos formatos de produção, apresentação e mediação artística e cultural.

As atividades tiveram aspectos, espaços e temporalidades diferentes, incluindo pesquisas, residências, percursos, trajetos, mostras de filmes, debates, oficinas cujos desdobramentos foram apresentados sob formatos de simpósios e apresentação de trabalhos, nomeados “situações”: Situação #1 Copan, 2002, Ressonância Sevilha UNYA, 2003, Situação #2 Abordagens Urbanas, 2004, e Situação #3 Estética e Política, 2005. A documentação foi articulada por uma série de encartes, publicações e exposições pontuais.

Situação #1 COPAN enfocou sobre as práticas estéticas contemporâneas, apresentando reflexões e posturas culturais heterogêneas de diversas partes do mundo. Percursos urbanos foram realizados atravessando territórios das zonas leste, oeste e sul, passando pelo centro histórico e o edifício Copan, junto a uma programação de filmes proposta e comentada pelo crítico de cinema Jean-Claude Bernardet. O primeiro encontro público do projeto realizado no mezanino do edifício Copan, na Cinemateca Brasileira e no Colégio de São Paulo - Biblioteca Mário de Andrade, entre 23 e 27 de Novembro, 2002, teve as participações de Alejandra Riera (Argentina, França), Christophe Wavelet (França), Débora Bolsoni (Brasil), Denise Bernuzzi de Sant'Anna (Brasil), Denise Xavier (Brasil), Jean-Claude Bernardet (França, Brasil), Kazuo Nakano (Brasil), Maria Papadimitriou (Grécia), Mauricio Dias e Walter Riedweg (Brasil, Suíça), Maurizio Lazzarato (Itália, França), Pablo Leon de la Barra (México), Peter Pál Pelbart (Brasil), Projeto olho sp (Brasil), Sophia da Silva Telles (Brasil), Suely Rolnik (Brasil), Tony Chakar e Naji Assi (Líbano), com projeto de arquitetura e sistema de mobiliário por Arquitetos Cooperantes.

O programa ArteyPensamiento da Universidad Internacional de Andalucía (Sevilha, Espanha) reuniu em Fevereiro de 2003, Celso Favaretto, Jean-Claude Bernardet, Kazuo Nakano e Catherine David para analisar o período dos anos 1960/70, momento extraordinário de desenvolvimento de uma geração de artistas, arquitetos, cineastas e intelectuais brasileiros.

Situação #2 Abordagens Urbanas procurou estabelecer uma rede regional entre pesquisa crítica, projetos artísticos e práticas urbanas na América Latina. Foram organizados em 24 e 25 de maio de 2004, um workshop com coordenação conceitual de Kazuo Nakano com a participação de Luciana Itikawa (São Paulo, Brasil), Mariana Fix (São Paulo, Brasil), Eduardo Aquino e Karen Shanski (Brasil, Canadá), Fabrizio Gallanti e Francisca Insulza (Itália, Chile) e uma conferência pública de Catherine David com Laymert Garcia dos Santos. Neste momento o projeto associou-se à plataforma de debates Fórum Permanente “Museus de arte: entre o público e o privado”, ao Centro Universitário Maria Antônia - USP e à Escola da Cidade.

Entre 17 e 19 de Abril de 2005, foi realizado um ciclo de debates no SESC Belenzinho, Situação #3 Estética e Política, a partir do pensamento do filósofo francês Jacques Rancière, com curadoria de Catherine David e Laymert Garcia dos Santos, com lançamento da publicação A partilha do sensível (exo/Ed. 34). Conferências e mesas-redondas reuniram os críticos e pesquisadores Roberto Schwarz, Otília Arantes, Laymert Garcia dos Santos, Celso Favaretto, Leon Kossovitch, Stéphane Huchet, Catherine David, Fulvia Carnevale e Sylvaine Bulle.

Alejandra Riera, Pablo León de la Barra, Paola Salerno, Peter Friedl, George Dupin, Sylvainne Bulle participaram de residências-pesquisas desenvolvidas a médio-longo prazo em diálogos com os pesquisadores urbanistas Kazuo Nakano, Mariana Fix, Luciana Itikawa, Ligia Nobre e o filósofo Peter Pál Pelbart e Cia Ueinzz de teatro, dentre outros.

São Paulo S.A. foi realizado em colaboração com muitos indivíduos, organizações e instituições. Contou com acompanhamento do Ministério da Cultura na França/DAP, a Associação Francesa de Ação Artística/ AFAA, Consulado Geral da França em São Paulo; apoio de FNAC Brasil, AudioPerformance, Albino Advogados Associados, CENDOTEC, Conseil des Arts du Canadá, Consulado Geral dos Países Baixos, Embaixada do México - São Paulo, Instituto Goethe São Paulo, SESC São Paulo, Varig; e parcerias com BNV Produções (Sevilha, Espanha), Universidad Internacional de Andalucía - UNIA (Sevilha, Espanha), Cinemateca Brasileira, Colégio de São Paulo – Biblioteca Mário de Andrade, Editora 34, Escola de Comunicação e Artes - USP, Centro Universitário Maria Antônia – USP, Escola da Cidade, Fórum Permanente “Museus de arte entre o público e o privado”, GIRO Projetos Culturais, MSTC e Instituto Polis.

Paola Salerno, série São Paulo: entre utopia e sonho, São Paulo S.A. 2005